• Mutirão de Cirurgias
  • Programa Primeiro Emprego
  • Governo - Hospital N. S.do Bom Sucesso em Cruz das Almas
  • Governo - Anel Viário de Candeias

PLANESP

PLANO ESTRATÉGICO DO SISTEMA ESTADUAL DA SEGURANÇA PÚBLICA – PLANESP

O Plano Estratégico apresenta a estratégia construída para a Segurança Pública do Estado, inspirado em uma nova Visão de Futuro e considerando a missão do Sistema Estadual de Segurança Pública (SESP). O PLANESP 2016-2025 revela o caminho pretendido para a efetiva contribuição na redução dos índices de criminalidade, agregando pressupostos de qualidade e excelência na prestação dos serviços de segurança pública cidadã, na Bahia, nos próximos dez anos.

METODOLOGIA DA ELABORAÇÃO DO PLANESP 

Para a implementação da Estratégia apresentada no PLANESP, a Secretaria da Segurança Pública do estado da Bahia buscou referências em diversas organizações públicas e privadas, nos programas de gestão do Governo Federal, como o Gespública, em modernos conceitos da área de gestão e nas experiências práticas existentes nos diversos setores da segurança pública na atualidade.

As lições aprendidas no processo de execução do Planesp 2012-2015 possibilitaram o amadurecimento da aplicação de ferramentas de planejamento estratégico, bem como o aperfeiçoamento do emprego de metodologias como o Gerenciamento pelas Diretrizes (GPD) e o Balanced Scorecard (BSC), utilizadas para desenvolver, comunicar e executar as estratégias que norteiam a nova Visão de Futuro e a incorporação de novas metodologias como as de gestão por processos, gestão de projetos, de programas e de portfólios, compreendidas como indispensáveis à implantação de um processo dinâmico de acompanhamento, avaliação e controle da estratégia.

Esse avanço oportunizou a incorporação de novas metodologias como as de gestão por processos, gestão de projetos, de programas e de portfólios, compreendidas como indispensáveis à implantação de um processo dinâmico de acompanhamento, avaliação e controle da estratégia.

Neste cenário marcado por inovações na gestão coube a um grupo de trabalho, designado em portaria no Diário Oficial do Estado, a composição do Planesp 2016-2025. Esse grupo, formado por especialistas representantes de todas as Instituições da Segurança Pública (ISP), recebeu o apoio dos integrantes dos cinco Escritórios de Projetos e Processos (EPP) implantados na SSP, passando a coordenar a tarefa de oferecer um ambiente organizacional favorável ao processo de concepção e execução da estratégia, consolidado no Plano. 

Para alcançar tal objetivo, foram realizados dois grandes eventos intitulados “Encontros de líderes da Segurança Pública” com o intuito de alinhar as ideias na área da Gestão para a construção das normas estratégicas que subsidiariam o trabalho vindouro.

lideresNo primeiro encontro foi utilizada uma abordagem de leader coaching, que buscou orientar os envolvidos na projeção dos resultados desejados para aquele momento. Além do secretário da Segurança Pública e do subsecretário, participaram deste evento o delegado-geral e o delegado-geral Adjunto da Polícia Civil, o comandante-geral e o subcomandante-geral da Polícia Militar, o diretor Adjunto do Departamento de Polícia Técnica, o comandante de operações do Corpo de Bombeiros e os superintendentes, diretores e assessores da Secretaria.


Já o segundo encontro com as lideranças foi estruturado na filosofia da capacitação corporativa, sendo proporcionada aos gestores a vivência da aprendizagem organizacional, onde revisaram as Diretrizes Estratégicas do Sistema Estadual de Segurança Pública, quais sejam: a Missão, a Visão de Futuro e os Valores Institucionais. Por fim, a definição dos objetivos, fatores críticos de sucesso e a consolidação do mapa estratégico, foram os desfechos dessas etapas. 

lideres2Esse quadro construído pelas lideranças foi entregue à equipe técnica designada, que prosseguiu com o refinamento das informações, definição dos indicadores de desempenho institucional, levantamento da linha de base destes indicadores, com a elaboração do processo de construção dos portfólios de projetos e processos estratégicos, bem como a alocação dos recursos organizacionais e o planejamento da comunicação da estratégia. 

A partir daí, foram desencadeados os eventos formativo-operacionais das equipes com o intuito de dar conta do desdobramento do planejamento estratégico. Neste sentido, os atores envolvidos no processo imergiram em capacitações corporativas no formato on the job, vivenciando na prática um ambiente colaborativo em que se aprende a partir de seus próprios processos de trabalho.

Foram realizadas Oficinas Formativas propostas pela “Trilha do Conhecimento” voltadas ao alinhamento teórico-prático do Planejamento Estratégico, estruturação do mapa estratégico, elaboração de cronograma das atividades, escuta social e, por fim, elaboração de propostas que dariam corpo ao Planesp 2016-2025.

A Trilha do Conhecimento desenvolvida na SSP consiste em conjuntos integrados e sistemáticos de eventos de capacitação com múltiplas formas de aprendizagem, visando à aquisição e ao desenvolvimento de competências requeridas para o desempenho profissional dos servidores da segurança pública lotados nos EPP ou órgãos de planejamento, orçamento e gestão.

Para a construção do Portfólio de Projetos foram realizadas oficinas de capacitação em gerenciamento de projetos, programas e portfólio destinadas aos representantes de todas as Instituições de Segurança Pública, integrantes dos respectivos Escritórios de Projetos e Processos e das áreas de planejamento, orçamento e gestão, bem como alguns representantes de Departamentos. Este público, após as capacitações, retornaram aos seus órgãos com a missão de levantar as ações em andamento e elaborar as propostas de projetos de cada ISP, alinhadas às diretrizes estratégicas de cada órgão.

Vencida esta etapa de Identificação de Iniciativas, as propostas de projetos foram selecionadas por cada instituição, por meio do respectivo Escritório de Projetos e Processos e, posteriormente, submetidas ao Comitê Integrado para Gestão de Projetos e Processos Estratégicos para priorização e balanceamento, observando-se critérios pré-definidos e a capacidade de execução de cada órgão, quando chegou-se, então, ao Portfólio de Projetos do Planesp.

À semelhança desse processo de construção e diante da originalidade do tema, o Portfólio de Processos também foi iniciado com capacitações em Processos organizacionais, para promover o alinhamento de conceitos e especificidades sobre o tema. Em razão do estágio de maturidade da organização em Gestão de Processos, optou-se, inicialmente, por extrair dos objetivos estratégicos estabelecidos no novo mapa estratégico o escopo dos projetos de transformação em processos, alinhando-os aos respectivos indicadores estratégicos. Desta forma, foram identificadas as propostas de projetos de análise e melhoria de processos, que também foram submetidas ao Comitê de gestão integrada de projetos e processos estratégicos para seleção, priorização e balanceamento, culminando com a aprovação do Portfólio de Processos do PLANESP.

Para o Planesp 2016-2025, escolheu-se um horizonte temporal de dez anos, período julgado necessário para a implantação da estratégia, aspirando ao alcance da Visão de Futuro estabelecida, e razoável para oportunizar ocasionais adequações às ações institucionais requeridas por eventuais mudanças que venham a surgir na conjuntura estadual.

Em seguida à consolidação das informações construídas através da aplicação do BSC, fora definido para a gestão do plano o modelo de governança, esteado em dois comitês, o Comitê de Gestão Integrada de Projetos e Processos, responsável pela proposição e avaliação dos Portfólios, e o Comitê de Gestão Estratégica, este último responsável pelo monitoramento da estratégia, através do acompanhamento e avaliação contínua dos resultados alcançados, decorrentes das ações desencadeadas, primando pela aderência permanente destas com as diretrizes estratégicas estabelecidas, apresentadas a seguir.

Recomendar esta página via e-mail: