• Mutirão de Cirurgias
  • Programa Primeiro Emprego
  • Governo - Hospital N. S.do Bom Sucesso em Cruz das Almas
  • Governo - Anel Viário de Candeias

Reunião

15/03/2017 13:50

Torcidas organizadas se unem em prol da paz no futebol

Presidentes das duas maiores torcidas organizadas do estado, Gabriel Oliveira (Imbatíveis) e Luciano Venâncio (Bamor), se reuniram na manhã desta quarta-feira (15), no Centro de Operações e Inteligência para discutir ações que promovam a paz nos estádios.


No encontro, mediado pelo secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, pelo subsecretário da SSP, Ary Pereira de Oliveira, pelo presidente da Federação Baiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues, e pelos comandantes de Policiamento Especializado (CPE), coronel Lazaro Raimundo Monteiro, e do Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos (Bepe), tenente-coronel Saulo Roberto, também foi solicitada a suspensão das sanções impostas às torcidas dos clubes, devido ao desrespeito ao Termo de Ajuste de Conduta e ao Estatuto do Torcedor por parte de alguns associados aos dois clubes.


É importante que esta postura de conscientização parta da própria diretoria, para que os torcedores percebam que essa integração já existe e deve ser praticada. A rivalidade entre os times deve ocorrer apenas dentro dos campos”, afirmou o secretário Maurício Barbosa. Sobre o retorno das torcidas às arquibancadas, Barbosa afirmou que o caso será avaliado, junto ao Ministério Público.


Já o comandante da CPE, lembrou os casos de excessos de torcedores após alguns jogos ocorridos no primeiro semestre de 2016. “Estamos abertos ao diálogo, mas não vamos tolerar condutas de alguns que colocam em risco a vidas de milhares de torcedores”, enfatizou, salientando o preparo do Bepe para conter ações que destoam do espírito esportivo.


Já os presidentes da Bamor e dos Imbatíveis garantiram que uma série de ações estão sendo desenvolvidas para estimular o respeito entre as duas torcidas, inclusive com a realização de um evento no primeiro BaxVi do ano. “Já avançamos muito e ainda há muito a ser feito. Com diálogo e dedicação vamos ajudar a fazer o futebol baiano cada vez mais profissional e pacífico”, concluíram.




Fonte: Ascom/Kelly Hosana

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.